Publicada a Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”

Publicada a Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”

Recolhemos um resumo da Exortação Apostólica “Amoris Laetitia” sobre o amor humano, publicada hoje. O Prelado do Opus Dei pediu “que todos saibamos acompanhar mais e melhor às famílias”. Com a publicação deste documento, o Prelado do Opus Dei, Mons. Javier Echevarría, manifestou hoje seu desejo “de que todos os fiéis e amigos da Prelazia acompanhem nestes dias o Papa Francisco com abundantes orações por sua pessoa e intenções, de modo que todos saibamos – com a ajuda do Espírito Santo – acompanhar mais e melhor às famílias”. “Amoris Laetitia” (“A alegria do amor”), a Exortação apostólica pós-sinodal “sobre o amor na família”, datada não por acaso de 19 de março, Solenidade de S. José, recolhe os resultados de dois Sínodos sobre a família convocados pelo Papa Francisco em 2014 e 2015, cujas Relações conclusivas são abundantemente citadas, juntamente com documentos e ensinamentos dos seus Predecessores e as numerosas catequeses sobre a família do próprio Papa Francisco. Contudo, como já sucedeu em outros documentos do magistério, o Papa recorre também a contributos de diversas Conferências episcopais de todo o mundo (Quênia, Austrália, Argentina…) e a citações de personalidades de relevo, como Martin Luther King ou Erich Fromm. Ressalta em particular uma citação do filme “A Festa de Babette”, que o Papa recorda para explicar o conceito de gratuidade. Premissa A Exortação apostólica chama a atenção pela sua amplitude e articulação. Está dividida em nove capítulos e mais de 300 parágrafos. Tem início com seteparágrafos introdutórios que evidenciam a plena consciência da complexidade do tema, que requer ser aprofundado. Afirma-se que as intervenções dos Padres no Sínodo constituíram um «precioso...